Quando cai a noite

É quando as palavras tomam forma. Tomam tempo e tomam gosto, quando eu gosto do que faço. É quando um verso vira mato, quando uma rima vira prosa. E é quando demora, por mais que me distraia. Quando cai a noite, é hora de mergulhar em suposições, explosões e tudo mais que constitui cenário. É quando me imagino, quando crio, quando ensino e aprendo com as próprias criações.

Quando cai a noite, cai o olhar. E chegam as nuvens, que são como borracha. Apago as memórias, crio outras, as novas, e faço com que o meu mundo cresça um pouco mais. São momentos inegáveis, são histórias inegáveis e escrevo cada uma como se soubesse o que digo. Mas quando cai a noite, é isso, é céu estrelado mesmo que a terra traga problemas. E ainda assim, é bonito. Porque escrito, eu penso, é porque alguém escreveu.

Quando cai a noite, meu tema sou eu. E ai de mim que escreva mal.


0 Comentários:

Postar um comentário

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!