Recicle-se

Não, esse texto não é sobre superar. Não é sobre amor, não é sobre amigos e não é sobre ser outra pessoa. Esse texto visa reciclar as coisas. E mostrar que, nesse mundo, nada, quase nada, é permanente.

Esse texto não é sobre você ou sobre mim. Nem sobre como nos comportamos no trabalho. Não é um texto que vai te fazer pensar sobre como é importante ter compaixão ou como é importante perdoar. Esse texto, meu caro leitor, é uma tentativa. E é simples, afinal, hoje, é preciso ser reciclável, acima de qualquer coisa.

Hoje, não basta dominarmos o que nos propomos a fazer. Não basta sermos amáveis, não basta sermos únicos. Por mais que provoquemos reações, por mais que despertemos emoções diversas, hoje é preciso que sejamos adaptáveis. Justos, sim, corretos, pessoas com valores e princípios, acima de qualquer situação. Mas adaptáveis. Pessoas que mudam com facilidade, uma vez que a vida impõe.

Hoje, precisamos reciclar. Nossas relações, nosso interior. Nossa mania de achar que precisamos guardar tudo que dissemos, ouvimos ou fizemos, pois um dia precisaremos de provas. Nós precisamos reciclar os pensamentos, as virtudes. Nossa mania de achar que o planeta não acaba, que a fonte não seca. Que a vida segue, apesar da sujeira. Precisamos pensar que a verdade é outra, mas porque realmente é.

Não, esse texto não quer mudar seu pensamento. Nem cortar o seu momento, nem mudar alguém. Mas, de alguma maneira, quer dizer que é a versatilidade que dita o rumo dos caminhos mais difíceis. Não, não é ser duro, ser mandão. Não é querer a razão quando só se tem o sonho. O que dita o nosso rumo, hoje, é a nossa capacidade de mudança, de aceitação. Nossa capacidade de entender que um não é não.

Hoje, o que dita o nosso rumo, é aproveitar a chance. Isso, meu caro leitor, só chega quando a gente permite.

Recicle-se.


16 comentários:

  1. Olá que texto maravilhoso, adorei! Nós temos uma mania de achar que as coisas nunca irão acabar, que teremos fartura pra toda a vida e que o dia do fim de tudo não chegará, estamos constantemente desvalorizando as coisas mais ricas desse mundo, e que nem sempre são as mais caras, as da moda, as de tendencia, e sim o que o próprio mundo nos oferece, adorei seu blog, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oie
    muito legal o textinho, me fez refletir bastante.
    Adoro quando me deparo por acaso com textos assim que em deixam reflexiva para o resto do dia

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Belo texto de muita sapiência.
    Concordo com ele, não é deixarmos de ser quem somos mas sim termos a capacidade e coragem de mudar de acordo com circunstâncias.

    ResponderExcluir
  4. A maior qualidade do ser humano é a adaptação, a resiliência. Ao mesmo tempo que é virtude, é maldição: formou tantas pessoas diferentes que, hoje, mal sabemos diferenciar o certo do errado. Seu conselho é totalmente plausível: se a gente se edita, a gente se adapta ao novo mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. Muito obrigada por comentar, Falkner!

      Excluir
  5. Ótima reflexão, reciclar-se é essencial mesmo.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  6. Heráclito dizia que tudo é fluído, o que somos hoje não é o mesmo de amanhã. Seu texto me recordou da ideia de resiliência, mas isso exige maturidade da alma, da psique.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Lilian, bem por aí. Beijo grande!

      Excluir
  7. Oi Carol,
    Adorei a reflexão! Pra se reciclar é preciso, primeiro, se conhecer e estar aberto a mudanças.
    Beijos,
    André | Garotos Pardidos
    www.garotosperdidos.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Que belo texto, fugindo do comum e do clichê. Adorei, nos fazendo pensar na vida, do que queremos e de como o mundo é hoje. Gostei mesmo <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!