Clichês somos nós

Que desejamos no outro o que vemos por aí e que defendemos bem alto quem fala o que sente. Que não desistimos na primeira tentativa e que apagamos da memória qualquer coisa que atrapalhe a nossa segunda chance.

Clichês somos nós, amigo. Você e eu. Gente que ignora o olhar de quem não é exatamente quem gostaríamos que fosse, mas bloqueia o carinho de um conhecido porque é de um conhecido, não de uma doce amizade.

Clichês somos nós porque a gente assiste a filmes que fazem chorar e acha bonito alguém se deixar sofrer enquanto assiste a um romance dramático. Porque acreditamos em destino, porque a gente ama bonito e gosta de flores nas horas certas.

Clichês somos nós porque ninguém mais tem a mesma habilidade quando a palavra é saudade. Quando é reciprocidade, então, é questão de domínio.

Clichês somos nós porque nós sentimos. E isso é maravilhoso.



6 comentários:

  1. A vida é repleta de clichês e o fato de algo ser clichê não necessariamente significa que é ruim, afinal, clichês são clichês porque funcionam na maioria das vezes.

    ResponderExcluir
  2. Ai, eu detesto sentir coisas. Sei que é o que nos faz humanos, mas não gosto, não. Porém: bem clichê mesmo. E tá tudo bem ser assim.

    ResponderExcluir
  3. Oiiie!

    Sou clichê mesmo. Sinto até o fundo, mas vamos lá! hahahah

    Beijos!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!