Nosso verão


Tudo começou numa tarde de verão, entre os momentos em que eu lia e corria na areia, com meu biquíni anos sei lá quanto e enquanto você, sentado em uma toalha, observava o mar. O sol estava forte, mas bastou um desequilíbrio. Um desequilíbrio gigantesco que custou meu tornozelo, meus sentimentos e você. Mas, não me arrependo. O colo era bom, o cheiro do seu cabelo era bom e você estava lindo, ali, rindo, de mim e comigo, como velhos conhecidos. Meus óculos escuros esbarraram nos seus e quando você sorriu, tudo se iluminou.

Me lembro de como você disse que o meu sorriso era bonito, mesmo sob a claridade do sol, que tudo brilhava. Era um dia de semana, final de dezembro e você ainda não sabia falar do que sentia. Mas eu não ligava, não ligaria se eu soubesse o que estava por vir. Se eu pudesse, te congelava naquele momento só pra repetir cada segundo. Quando levantamos, fomos até o mar, conversando, nadamos, voltamos, nos sentamos e eu observei o mar com você. Lembro que dali por diante, repetimos a mesma coisa durante quase quatro verões. Isso, quase. Quase porque no último você resolveu se abrir. Você repetiu que o meu sorriso era bonito, falou sobre o quanto queria estar comigo e me beijou como nunca. Na minha cabeça, eu nunca esqueci do nosso primeiro dia, nosso ar de gente estranha.

Mas, agora, eu só consigo me lembrar da rosa amarela que você prendeu numa mecha escura do meu cabelo e dos óculos escuros que você fez questão de colocar em mim antes de fazer aquela pergunta. Sabe, eu teria derretido, não fosse o calor daquela manhã, na varanda da sua casa de veraneio. Mas derreti por dentro, porque foi a pergunta mais bonita que eu ouvi. Mesmo que você não tivesse dito nada, mesmo que tenha sido como foi: sob um olhar sereno, um sorriso, um bom dia e a certeza de que eu te daria bom dia pelos próximos quinhentos anos da nossa vida.

Se eu pudesse, gravaria a sensação que eu tive naquele dia, e gravaria as minhas mãos nas suas. Ainda bem que te respondi.


Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.

14 comentários:

  1. Olá lindona,
    é um texto mais lindo que outro que encontramos quando entramos aqui no seu cantinho.
    Um blog lindo cheio de carinho.

    Estou seguindo para não perder nada aqui.
    beijocas.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, Carolina! Muito bem escrito, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Carolina!
    Suas palavras conseguiram eternizar um momento e um sentimento e é tudo que um escritor pode almejar. Gostaria de ler mais sobre a estória dos personagens.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tatiana, fico feliz de ver que gostou! Não pensei em criar personagens com esse texto, mas você me deu uma boa ideia. Beijos!

      Excluir
  4. Você escreve tão bem! Eu adoro demais seus textos ♥ E esse é um amor! Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  5. texto profundo, hein?
    eu jamais saberia colocar tudo de forma tão bonita no papel...
    Parabéns... ^^

    ResponderExcluir
  6. Uma delicia de se ler esse texto, intenso e cheio de entrega! Lindo!!! Bjkas

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Gente, amei seu texto. Gosto muito de textos assim, que faz com que nos telestranportamos para o local, que nos vejamos na cena.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz, Larissa! Obrigada pelo carinho!

      Excluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!