Coisa minha

Meu lado casca grossa é só pra enganar. Meu lado menino, fingido, criança. É tudo na esperança de guardar a mulher que eu sei que sou.

É tudo pra ocultar a mulher da qual alguém pode se orgulhar, um dia. Aliás, eu acho que as mulheres precisam ter isso. Precisam de vulnerabilidade e certeza, ao mesmo tempo. Não acho que mulheres totalmente molecas sejam melhores do que as totalmente femininas. Muito pelo contrário, ser mais de uma do que de outra só faz mal. E faz mal porque diminui as chances de você ser você mesmo em favor de um lado só. Vai ver é por isso que sou brincalhona, séria, realista, irônica e, na maioria das vezes, romântica até a última veia. Vai ver é por isso que eu gosto de ser indefesa e predadora, de vez em quando.

Não, meu lado casca grossa não é muito agradável, mas sem ele eu não conseguiria desviar de braços fortes, fazer charminho e depois me derreter. É simples, bem simples. Eu sou das que gostam de ter mais de um lado, de agradar pela sensualidade sem vulgaridade, de ser única e não mais uma. Eu gosto de ser das que são capazes de não serem esquecidas. Porque, é fato, se permitir não ser esquecida é muito difícil. É muito difícil fazer com que algumas pessoas entendam o que nós queremos do jeito certo. Eu fui feita pra ser eu mesma e a graça é justamente essa.

Toda mulher tem uma opinião formada, toda mulher tem um lado mãe, protetora, amiga louca e princesinha da casa. Não adianta dizer que não, que os tempos são outros e que casamento não está com nada. É mentira. Não existe quem não queira ter um ombro pra se encostar a noite inteira. Assim como não existe mulher que não goste de ser amada pelo que é, que não goste de ter um lado divertido, amigas divertidas e, cá entre nós, um homem que goste de humor. É por isso que eu acho que nós precisamos rir mais dos próprios erros. Precisamos fazer do cotidiano alguma coisa divertida, nem que seja dançando no chuveiro.

A vida passa. A vida, os amigos e os amores. E eu não fui feita pra deixar passar, muito pelo contrário. A minha graça é errar, tentar, errar de novo, deixar ir embora e recomeçar. Tanto faz o meu estilo, tanto faz quem eu sou. Pra mim, o que importa é que eu esteja ciente do que está por trás do meu sorriso, de menina ou de mulher. É simples, bem simples. Meu lado casca grossa é só pra enganar. Coisa minha.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui!!

8 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Indentifiquei uma amiga no seu texto, porque ela é bem casca grossa para se defender é somente quem a conhece realmente sabe que ela não é assim.
    Gostei muito do seu texto!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem. E você? Fico feliz de ver que gostou, Larissa! Que a amizade siga firme. Beijos!

      Excluir
  2. Oie,
    Que texto bem construído. Seu texto me descreveu completamente. Há coisas que são tão íntimas que não há porque dividir. Principalmente, nós mulheres que desejamos ser compreendidas sem precisar falar. E nem sempre o jeito grosso é da personalidade mas sim um modo para nos defendermos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada! É bem por aí. Beijocas!

      Excluir
  3. Olá Carolina, mais um texto inspirador. Eu sou um pouco ao contrário, normalmente passo a imagem de mais vulnerável, segundo o que ouso de terceiros, mas deixe que pisem nos meus calos para ver se eu não grito também rsrs... Creio que essa dualidade é que nos torna bem interessantes e, sim, não deixa de ser uma forma de nos defendermos.

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Muito obrigada pela visita! :*

      Excluir
  4. Oi! Interessante o post, você escreve bem. Beijos e sucesso com o Ensaiando!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!