Não, o problema não é você

É, a gente cresce. Muda, volta atrás, muda de novo e segue em frente. A questão é que no processo ninguém sabe o que acontece. Cada um tem um caminho, um jeito e um destino. Cada um sabe o que quer, mas ninguém sabe o que precisa fazer. Ninguém. É nessa hora que bate o medo, a insegurança e a vontade de voltar, voltar mais uma vez. Só que o problema não é você. Nem eu. O problema é o resto.

O problema é que tudo muda muito fácil, que tudo que não se adapta perde espaço e que a gente cresce, mas não consegue evitar as decepções. O problema é que cada vez mais nos perdemos nas expectativas. É quando nos tornamos mais duros, mais insensíveis e mais incapazes de amar. De acreditar no amor, na compaixão, nas amizades sem segundas intenções e na vida também. Chega uma hora em que a gente perde a saída, fica preso. Chega uma hora em que a gente acha que não tem outro caminho, que é melhor ficar sozinho e acaba desistindo de nós mesmos. Sobre isso, eu preciso dizer uma coisa. Algo que aprendi na marra. Não, mentira, é algo que ainda estou aprendendo, mas que tem me feito um bem danado: o problema não é o que acontece por fora, é o que acontece por dentro.

É o que deixamos de lado quando damos ouvido a quem não devemos, quando seguimos regras que não queremos, quando fazemos o sistema girar e os nossos sonhos param, enferrujam. É o que fingimos que não acontece quando estamos apaixonados, o que evitamos quando precisamos não evitar. Não, o problema não é você. Nunca foi. O problema é não nos convencemos que podemos mais do que as pessoas dizem. E sabemos disso.





Gostou? Para receber os próximos posts, clique em "Participar deste site"!

26 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Lindo texto! Acho que só nos temos podemos nos culpar por aquilo que fazemos ou pelo que somos convencidos a fazer. Ótima reflexão.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo! Eba, que bom que gostou. Volte sempre que quiser!

      Excluir
  2. Seu texto foi... um divisor de águas pra mim, não sei. Estou num momento em que ler isso talvez fosse tudo o que eu realmente precisava pra refletir sobre certos aspectos da minha vida.

    laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mentira? Puxa, que bacana! Fico contente de ver que significou algo. Valeu a visita. Beijos!

      Excluir
  3. Nossa que lindo. Precisava ouvir ou melhor ler isto, perfeito. Me fez pensar, parabéns pelo texto lindo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Que legal que você gostou. ♥

      Excluir
  4. Oiiii, o que falar não é? ahahahaha adoro seu blog e os textos que possui <3 realmente sabem me tocar e até me fazer refletir sobre algumas coisas.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Que texto envolvente, comecei a ler e do nada já tava no fim haha. E é exatamente isso... Obrigada pelo texto.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa, Carol (pode chamar de Carol?), lindo o seu texto! E tenho pensado muito nessas coisas nos últimos anos. Eu sempre tive o sonho de trabalhar com desenho, seja com ilutração, quadrinhos ou animações e era o que eu realmente queria fazer quando a época do vestibular foi batendo na minha porta. Mas eu não sabia que aqui no Brasil realmente existia um mercado, na minha cabeça (de tanto as pessoas me virarem e falarem "mas aqui você vai morrer de fome", "como você vai sobreviver?". Incluindo o meu próprio pai) o jeito era ser ir para uma pracinha e ficar fazendo caricaturas. Como meus pais não me apoiaram na decisão, acabei mudando e fui parar em Jornalismo (só porque gostava de ler e escrever). Mas antes mesmo de chegar na faculdade eu já sabia que não era isso que eu queria, mas insisti. Insisti quando vi que escrever texto jornalístico me deixava entediada e a parte da leitura (restrita aos jornais) me deixava deprimida. Ao mesmo tempo que fui deixando de lado meu hobbie de desenhar todos os dias.
    Um belo dia acabei trancando a faculdade e pela conviniência, mais uma vez, escolhi Publicidade, já que era só trocar a habilitação e não o curso (Comunicação Social) e não precisaria fazer vestibular novamente. Gostei de Publicidade e acabei ficando. Até que no final do curso eu acabei indo estagiar em uma PRODUTORA DE ANIMAÇÃO. Aí que meu mundo caiu! Eu vi que tinha mercado para trabalhar com desenho, eu vi que as pessoas conseguiam sobreviver (não milionárias, mas ganhavam dinheiro suficiente para terem uma casinha e serem feliz fazendo o que gostam). Não preciso dizer que comecei a desanimar com Publicidade, não é? Continuei na área, mesmo depois de ter saído da produtora, achava que eu já tinha feito a minha decisão e não me sentia no direito de mudar de ideia mais uma vez. Até que, com a crise, perdi o emprego. E agora estou estudando para o vestibular de novo para fazer uma graduação em animação, correndo atrás do que eu sempre quis (e se me vier com "mas por que você não faz uma Pós?!" vai tomar um murro no meio da fuça).

    Beijão! E força pra gente :)
    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana, Babi! É sempre bom quando percebemos o que realmente buscamos, não importa se isso demora ou não. Muito obrigada por compartilhar comigo! Acho que ainda tenho um caminho para percorrer, mas agora estou ciente do que preciso trabalhar em mim. Fico feliz por você e briga mesmo, viu? Corra atrás do seu, você merece. Beijão, força para nós! ♥

      Excluir
  7. Amando seus textos.
    Gosto da honestidade e da profundidade deles.Você escreve muito bem.parabéns!

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie! Que texto maravilhoso. Você escreve muitíssimo bem. Sempre podemos mais do que as pessoas dizem. ;)
    Adorei!
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  9. Olá, esse é mais um de seus texto que eu curti, você escreve muito bem e de maneira bem fluida *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Que texto lindo!!!! Você soube capturar um sentimento que temos repetidas vezes em várias fases da vida! Devemos sempre ter em mente que nós realmente podemos mais do que as pessoas pensam, podemos agir por nós mesmos, por nossas consciências, nossos princípios e sonhos! Adorei!

    Beijos,

    Mari

    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo ótimo. Obrigada, Mari! Venha sempre que quiser.

      Excluir
  11. Oie
    nossa, eu amei seu texto, tantas vezes me sinto culpada por tal coisa em cretos momentos mas ao refletir depois vejo que realmente a culpa nunca foi minha, eu adorei a reflexão

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Que texto lindo, me identifiquei e estou nesse dilema. Só que ando me culpando, sabe as vezes penso em desistir das coisas e até de mim. Mas eu, ontem mesmo, decidi que esse ano vai ser diferente, eu vou alcançar as minhas metas meus objetivos e o melhor, sem ligar para os outros, sei que é uma coisa difícil, pq sempre queremos alguém ali pra nós incentivar, dar aquela força, mas hoje a maioria das pessoas agem na falsidade, então você acaba seguindo sozinho, mesmo escutando que ninguém consegue as coisas estanto sozinho. Mas acredito, tenho que acreditar que sim é possível. Parabéns pelo texto.

    Beijo
    Lovesbooksandcupcakea.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigada! Melhor coisa, essa decisão. Acho que estamos no mesmo barco. Beijos!

      Excluir
  13. Olá, muito bom seu texto! Me identifiquei com muitas partes dele, parabéns!!!!
    Abraços
    www.entrelinhaseafins.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado. Volte mais vezes!