Antes que o dia acabe. Antes que o tempo passe e você perceba que passou mais tempo se queixando do próprio nariz e das próprias curvas do que apreciando o que você tem.

Ame-se primeiro. Olhe-se no espelho e perceba que não há ninguém no mundo com as mesmas características que você. Perceba também que muito do que você quer mudar pertence ao que esperam que você se torne. É o famoso padrão, a famosa ignorância. O tipo de coisa que só existe pra fazer com que você se enxergue pelos olhos de quem acha que vê.

O tipo de coisa que te faz deixar de usar uma peça de roupa pelo julgamento alheio.
O tipo de coisa que faz com que você se sinta inferior a alguém.
O tipo de coisa que te priva, coim o tempo ou com a mídia, de entender que o bonito da beleza é justamente isso: ser o que você quiser.

Ame-se primeiro. Os outros podem esperar.



Palavras presas e um corpo inteiro de sentimentos confusos e intensos. Eu sou feita de sentidos, de momentos e de tudo que eu julgo necessário pra me sentir inteira. Quando contrariada, pressionada, eu enxergo a vida de outra maneira. Eu brilho. Eu tento o meu melhor a cada instante, mesmo que isso não seja visto.

Bem aqui dentro, sou flor. Sou dobrável, sou frágil. É que por fora gosto de ser esse emaranhado de sensações e de linhas que nem sempre se cruzam. Eu gosto de ser sozinha, acompanhada e acompanhante. Gosto de ouvir o que me dizem e de absorver as coisas difíceis. Gosto, de verdade, das coisas simples e do sorriso que vem de longe. Que vem de dentro. Eu gosto do que me arrebata em poucos segundos e me tira o sono.

Eu sou feita de sonhos.

De histórias que escrevo sem pretensões, mas com a pretensão de escrever.
De um bando de pessoas que passa por mim sem me ver.

Bem aqui dentro, eu sou feita do mundo.
E é como se eu soubesse o meu lugar.



Confiança e amor. Fé e maturidade.
Tudo que a idade me faz pedir à medida que o tempo passa.

Peço, de verdade, que você se contente com o que tem. Com o que é, também.
Que você perceba que não precisa de muito para ser feliz.

Peço que você avalie o que fez. O que fez, o que não fez e o que te impediu de fazer o que sempre quis. Que você perceba que, pra ser feliz, basta percorrer o caminho. Afinal, destino é consequência.

Peço paciência. Que você tenha coerência. 
Que deixe fluir o que sente sem medo do que vão pensar.
Que a vida não te endureça.

Peço, por fim, que renove suas energias. Que limpe seus erros e deixe só as lições.

Peço, de verdade, que você leia mais. E sorria. E ria. E levante ao cair.

Que você saiba seguir.

Ser feliz é isso.



É recíproco. Simples assim.

Quando vale, seja amor, seja amizade, é porque a intensidade funciona dos dois lados. É porque é amável, porque é do bem. Porque transmite coisas boas e faz aprender. Quando vale, é porque existe interação e respeito o suficiente pra fazer com que nada interfira. E é assim que deve ser: respeitável, amável e sempre desejando o melhor.

Quando vale, não há cara feia que atrapalhe. Nem bronca, nem distância. Estilo ou escolha, muito menos. Quando vale vira infância e tudo parece mais bonito. Quando vale, é sinal de nascença. Sinal de que em algum momento essa relação já aconteceu. Se ficou ou não, é outra história. Na verdade, ao longo da vida, só fica quem tem de ficar. Não adianta se lamentar, não adianta forçar.

Quando vale é recíproco. E ao dizer isso, quero dizer natural. É quando gera sorrisos e não lágrimas, quando gera proximidade, não mágoas. Quando vale, seja amor, seja amizade, vale porque vem de dentro.



Que precisamos falar sobre aborto. Sobre aborto e assédio. Sobre aborto, assédio e mais uma porção de coisas que são tabu porque ninguém quer discutir de verdade.

Que precisamos sentar e dizer em voz alta o que está errado. Dizer por que está errado e encontrar respostas que não soem machistas ou resultado do interesse de terceiros.

Que precisamos avaliar a mídia de acordo com o que ela apresenta, não de acordo com o que interessa.

Que precisamos acreditar mais nas pessoas e precisamos nos esforçar pra que elas possam acreditar em nós.

Que precisamos crescer. De verdade, no aspecto que for. Que precisamos parar de falsidade e de achar que ser diferente é ruim. De achar que "não" é "sim" e de gostar de machismo. Que precisamos abolir o preconceito.

Eu sinto, mais do que nunca, que precisamos baixar alguns narizes. Diminuir alguns pedestais e alterar algumas linhas de pensamento. Precisamos aprender com a vida e não repetir os erros, precisamos de sentimentos e não de bolsos.

Eu sinto, aqui, na minha, que precisamos fazer o que nos cabe.

Afinal, só há igual quando há soma.






Ficamos nós. Aqui, sentados, jogando conversa fora. Ficamos nós, só nós, falando de coisas vagas. Da vida, do que falta e do que cansa. Ficamos nós fingindo que nada acontece quando chega a hora de nos encontrarmos.

Enquanto isso, a mente voa. Voa longe e volta. Enquanto a conversa flui e vai embora, mas o pensar continua firme e forte. Enquanto isso, ficamos nós. Olho no olho e o sorriso que vejo agora. O sorriso mais bonito que vi em uma semana.

Pena que é mentira; vejo o sorriso todo dia.
Pena que á agora, já que você vai embora.

Enquanto isso, ficamos aqui. Aqui, sentados, jogando conversa fora. Tudo na tentativa de impedir que a gente se complete.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.


Vamos falar do que aconteceu ontem e do que tem acontecido entre a gente. Vamos entender o que se passa, já que até agora eu não entendi. Amizade, pra mim, dura. E suporta, e respeita e entende. Não cobra, não reclama, não suspende, nem inveja. Muito menos inveja.

Vamos falar do motivo pela qual estamos lado a lado, mas não nos falamos como antes. Do motivo pela qual eu não quero mais falar com você. Vamos discutir sobre o que achamos disso tudo e tomar um café. Porque pessoas legais são assim, resolvem tudo na conversa, não nas entrelinhas. E não sem café. 

Senta, vamos conversar. Conversar e tirar da cabeça essa ideia absurda de que um tem que ser igual ao outro pra ser aceito. Tirar da cabeça essa mania que a gente tem de depender de alguém. Amizade, pra mim, não é depender de alguém. Não tem que depender. Amizade, na verdade, é o que acontece quando nada disso precisa existir. 

Vem, chega aqui. Vamos recomeçar.  




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
Até quando a gente suportar.
Até o dia chegar, até a hora passar.
Até lá, vai dar tudo certo.

Vamos conversar devagar, manter um certo nível e esperar.
Até lá, meu bem, seremos só duas pessoas que conversam esperando um ponto final.
Um ponto final necessário, dolorido. Um ponto final que pode até ser recomeço, mas que precisa começar primeiro. 

Até lá, enquanto a gente suportar, vai ser assim: eu de você, você de mim.
Mesmo que ninguém saiba.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
Eu queria. Queria e precisava de você. Tudo de você, como um contrato. E veio aquela voz. Ecoando, sussurrando. Eu já sabia que tinha perdido. Eu queria, mas não soube manter vivo. Não prendi você, mas também não me esqueci de como deveria ter feito. Meu coração é seu, eu falei, mas nada consenti. Precisava te ouvir no meio da noite e te dizer palavras sem nexo. Sorrir ao som da tua voz. Ser teu motivo. Não posso evitar, tudo que eu penso é nisso, é em nós dois. Queria me segurar em você e não largar nunca mais. É automático. Toda burrice é tola como o medo, então, talvez eu consiga. Por você. Por mim. Pelas noites acordada. Pela cor dos teus olhos. Você é a minha força. Quero ser sua razão, quero esquecer do tempo já que ninguém mais barra meu caminho. Desbloquear sua estrada, guardar seus pertences, ser tua por mais um dia. Eu quero tudo um pouco mais. Eu quero poder. Eu quero acreditar. Eu quero poder acreditar. Eu queria ganhar sem perder e fazer você lembrar de mim. Uma hora mais.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
E vem na hora certa. Não é como nos filmes, nos livros ou em qualquer outro lugar onde tudo funciona quando mais esperamos.

O emprego dos sonhos, o amor. A paz do primeiro dia na casa nova ou aquela resposta que a gente tanto quer ouvir. Deixa que vem. Deixa que a vida traz, não importa o que nos rodeia ou tenta nos impedir.

Deixa que vem. Vem só e sorrindo, quando tem que ser e sob a certeza de que é nosso. Sim, as coisas acontecem quando pedimos, quando esperamos e quando estamos ansiosos, mas tudo, absolutamente tudo tem um tempo. Sim, as coisas acontecem quando queremos, mas na maioria das vezes acontecem com pressa e sem jeito, não tão bem como poderiam acontecer.

Deixa vir, deixa que vem. Deixar acontecer é uma arte e só duvida dessa capacidade quem não sabe o que tem.








Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.