Vamos falar do que aconteceu ontem e do que tem acontecido entre a gente. Vamos entender o que se passa, já que até agora eu não entendi. Amizade, pra mim, dura. E suporta, e respeita e entende. Não cobra, não reclama, não suspende, nem inveja. Muito menos inveja.

Vamos falar do motivo pela qual estamos lado a lado, mas não nos falamos como antes. Do motivo pela qual eu não quero mais falar com você. Vamos discutir sobre o que achamos disso tudo e tomar um café. Porque pessoas legais são assim, resolvem tudo na conversa, não nas entrelinhas. E não sem café. 

Senta, vamos conversar. Conversar e tirar da cabeça essa ideia absurda de que um tem que ser igual ao outro pra ser aceito. Tirar da cabeça essa mania que a gente tem de depender de alguém. Amizade, pra mim, não é depender de alguém. Não tem que depender. Amizade, na verdade, é o que acontece quando nada disso precisa existir. 

Vem, chega aqui. Vamos recomeçar.  


Até quando a gente suportar.
Até o dia chegar, até a hora passar.
Até lá, vai dar tudo certo.

Vamos conversar devagar, manter um certo nível e esperar.
Até lá, meu bem, seremos só duas pessoas que conversam esperando um ponto final.
Um ponto final necessário, dolorido. Um ponto final que pode até ser recomeço, mas que precisa começar primeiro. 

Até lá, enquanto a gente suportar, vai ser assim: eu de você, você de mim.
Mesmo que ninguém saiba.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
Eu queria. Queria e precisava de você. Tudo de você, como um contrato. E veio aquela voz. Ecoando, sussurrando. Eu já sabia que tinha perdido. Eu queria, mas não soube manter vivo. Não prendi você, mas também não me esqueci de como deveria ter feito. Meu coração é seu, eu falei, mas nada consenti. Precisava te ouvir no meio da noite e te dizer palavras sem nexo. Sorrir ao som da tua voz. Ser teu motivo. Não posso evitar, tudo que eu penso é nisso, é em nós dois. Queria me segurar em você e não largar nunca mais. É automático. Toda burrice é tola como o medo, então, talvez eu consiga. Por você. Por mim. Pelas noites acordada. Pela cor dos teus olhos. Você é a minha força. Quero ser sua razão, quero esquecer do tempo já que ninguém mais barra meu caminho. Desbloquear sua estrada, guardar seus pertences, ser tua por mais um dia. Eu quero tudo um pouco mais. Eu quero poder. Eu quero acreditar. Eu quero poder acreditar. Eu queria ganhar sem perder e fazer você lembrar de mim. Uma hora mais.




Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
E vem na hora certa. Não é como nos filmes, nos livros ou em qualquer outro lugar onde tudo funciona quando mais esperamos.

O emprego dos sonhos, o amor. A paz do primeiro dia na casa nova ou aquela resposta que a gente tanto quer ouvir. Deixa que vem. Deixa que a vida traz, não importa o que nos rodeia ou tenta nos impedir.

Deixa que vem. Vem só e sorrindo, quando tem que ser e sob a certeza de que é nosso. Sim, as coisas acontecem quando pedimos, quando esperamos e quando estamos ansiosos, mas tudo, absolutamente tudo tem um tempo. Sim, as coisas acontecem quando queremos, mas na maioria das vezes acontecem com pressa e sem jeito, não tão bem como poderiam acontecer.

Deixa vir, deixa que vem. Deixar acontecer é uma arte e só duvida dessa capacidade quem não sabe o que tem.








Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.

Tudo começou numa tarde de verão, entre os momentos em que eu lia e corria na areia, com meu biquíni anos sei lá quanto e enquanto você, sentado em uma toalha, observava o mar. O sol estava forte, mas bastou um desequilíbrio. Um desequilíbrio gigantesco que custou meu tornozelo, meus sentimentos e você. Mas, não me arrependo. O colo era bom, o cheiro do seu cabelo era bom e você estava lindo, ali, rindo, de mim e comigo, como velhos conhecidos. Meus óculos escuros esbarraram nos seus e quando você sorriu, tudo se iluminou.

Me lembro de como você disse que o meu sorriso era bonito, mesmo sob a claridade do sol, que tudo brilhava. Era um dia de semana, final de dezembro e você ainda não sabia falar do que sentia. Mas eu não ligava, não ligaria se eu soubesse o que estava por vir. Se eu pudesse, te congelava naquele momento só pra repetir cada segundo. Quando levantamos, fomos até o mar, conversando, nadamos, voltamos, nos sentamos e eu observei o mar com você. Lembro que dali por diante, repetimos a mesma coisa durante quase quatro verões. Isso, quase. Quase porque no último você resolveu se abrir. Você repetiu que o meu sorriso era bonito, falou sobre o quanto queria estar comigo e me beijou como nunca. Na minha cabeça, eu nunca esqueci do nosso primeiro dia, nosso ar de gente estranha.

Mas, agora, eu só consigo me lembrar da rosa amarela que você prendeu numa mecha escura do meu cabelo e dos óculos escuros que você fez questão de colocar em mim antes de fazer aquela pergunta. Sabe, eu teria derretido, não fosse o calor daquela manhã, na varanda da sua casa de veraneio. Mas derreti por dentro, porque foi a pergunta mais bonita que eu ouvi. Mesmo que você não tivesse dito nada, mesmo que tenha sido como foi: sob um olhar sereno, um sorriso, um bom dia e a certeza de que eu te daria bom dia pelos próximos quinhentos anos da nossa vida.

Se eu pudesse, gravaria a sensação que eu tive naquele dia, e gravaria as minhas mãos nas suas. Ainda bem que te respondi.


Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.

Que me tire da reta, do caminho e da pausa
Que me faça mudar o pensamento
Que me traga paz e sorrisos, alguns amigos
Que me permita reviver o que eu quiser.

Que me faça refletir ao final do dia
Que eu comece com a mesma força
Que afaste de mim o que me irrita
Que me permita ser superior.

Que comece, que termine
Que seja só parte do caminho
Que eu não seja só, mesmo sozinha
Que eu seja capaz de agradecer.

Que venha.



Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
Na vida, no amor e no trabalho. Nada acontece por acaso e é assim que deve ser. É assim quando as coisas dão certo e a gente segue em frente, é assim quando as coisas dão errado e a gente mete os pés pelas mãos. É assim, não tem saída. A vida é feita de momentos e cada um tem seu lado bom e seu lado ruim. 

Quando fingimos acreditar no que pensamos e quando acreditamos no que pensamos. Quando queremos algo diferente, mas não queremos fazer nada para mudar. A vida acontece como tem que acontecer e há dias em que isso fica evidente. Não importa a hora, não importa o motivo. Há dias em que, de repente, tudo parece seguro e as respostas que pareciam faltar aparecem. Há dias em que, de repente, tudo faz sentido. É nesse instante que a gente liga, se desculpa, muda o rumo ou, no meu caso, escreve. 

É assim que acontece. É quando paramos para pensar, é quando vemos um filme. É quanto temos certeza de algo que nunca teremos. Ninguém pode mudar o que tem que ser. Mas a gente pode compartilhar. Certo?



Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui. 


Faz de conta que eu não te contei. Faz de conta que não é verdade. Eu nunca pensei que diria isso, mas, finge. Finge porque nem sempre as coisas são como devem ser e porque você sabe o que sente melhor do que eu. Finge que eu sou pra você porque você sabe o que é pra mim.

Fica. É o teu cheiro que eu quero no café da manhã, é tua língua que eu quero nos cantos certos da casa. É o teu ar, teu suspiro, teu êxito. Mas não pensa muito, me promete não pensar. Esquece a vida, dá um tempo dos amigos. Só um tempo, eles te encontram depois. Não pensa no tempo que perdeu até aqui, não pensa no que deixou pra trás.

Pensa em mim. Pensa no futuro próximo e em como eu vou beijar seu pescoço. E em como você vai sorrir e vai voltar logo após a despedida. De novo. De novo e de novo. É, eu sei, você sabe disso. Mas finge que não. Finge e vamos do zero. Finge, mas fica. Fica porque tem mais aqui do que em você. Você sabe o quanto.


Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui. 
É quando eu escrevo
É quando eu bocejo
É o prazer do momento
e de tudo que vejo

É quando ouço pássaros
É quando acordo tarde
Quando danço meus passos
e quando fico à vontade

É quando eu escrevo
que tudo tem cor.



Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.
Tem algo preso na sua garganta
Eu posso sentir
Algo que quer me falar mais e mais sobre você

Algo que me faz ouvir daqui sua respiração

Algo que me faz desejar recomeçar

Mas não sei

Não sei por onde começar
Não sei no que isso vai dar
Não sei, mas queria saber


E acho que não sou eu


Será?



Gostou? Para receber os próximos posts, clique aqui.